O deputado Dalmo Ribeiro esteve presente, nesta quinta-feira (11/04), em audiência pública para debater a falta de recursos e o sucateamento do Ipsemg. A reunião foi realizada pela Comissão de Saúde e contou com a presença de autoridades ligadas à administração do instituto e servidores públicos.

Dalmo reiterou seu compromisso com o Ipsemg e cobrou que o governo pague os débitos ao Hospital Renascentista, em Pouso Alegre, que atende várias cidades do sul de Minas, além de outras unidades do Estado.

Em março, o hospital suspendeu o atendimento aos servidores do Ipsemg por falta de repasse de verbas. “Não podemos ficar sem atendimento aos nossos servidores. Espero que, em breve, o atendimento a todos seja reestabelecido”, afirmou Dalmo.

Segundo o gerente de Ensino e Pesquisa do Ipsemg, Davidson Pires de Lima, o número de beneficiários do Ipsemg chega a quase 1 milhão, dos quais mais de 80% são do interior do estado.

Já são três anos com atrasos nos repasses por parte do governo, o que atinge diretamente os usuários e precariza os atendimentos. Com o acúmulo das dívidas, o Ipsemg não consegue arcar com os custos da assistência médica e nem pagar os hospitais conveniados.

O Ipsemg sofre com queda no número de leitos, superlotação, falta de material e atrasos no pagamento à rede credenciada, o que tem levado à suspensão do atendimento médico, como apontou o presidente da Associação de Médicos do Ipsemg, Marco Antônio Salum. Os 3,2% de contribuição continuam sendo descontados na folha de pagamento dos servidores.

O diretor de Saúde do instituto, Leonardo Tadeu Campera Brescia, reconheceu a precariedade do atendimento do órgão e manifestou que esforços estão sendo feitos para reverter a situação.