Notícias

Dia da Liberdade de Impostos chama a atenção para a alta carga tributária

02 junho 2016

Nesta quinta-feira, dia 2 de junho, aconteceu em diversas cidades, incluindo Belo Horizonte, a ação do “Dia da Liberdade de Impostos”. A data marca, simbolicamente, a época do ano em que os brasileiros passam a trabalhar para proveito próprio, já que antes disso toda a renda do trabalhador é destinada ao pagamento de impostos, taxas e contribuições cobrados pelos governos federal, estadual e municipal. A ação tem como principal objetivo protestar e conscientizar a população sobre a alta carga tributária do Brasil, cujo valor arrecadado em 2016 já ultrapassa os R$807 bilhões.

Presidente da Frente Parlamentar da Indústria Mineira, o deputado Dalmo Ribeiro acredita que deve-se reconhecer a importância do pagamento de impostos para a realização de políticas públicas, mas critica a alta quantidade de tributos cobrada. “A excessiva carga de impostos que os brasileiros pagam, infelizmente, não gera o retorno esperado e necessário em termos de qualidade de vida e serviços públicos. O país continua carente em investimentos nas áreas da educação, saúde, segurança, entre outros”, afirmou.

02.06.16 - Dia da Liberdade de Impostos_CDL de Belo Horizonte

No posto Pica Pau, em Belo Horizonte, a gasolina sem impostos foi vendida a R$2,094 o litro. (Foto: Divulgação/CDL-BH)

De acordo com estudo divulgado nesta semana pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), a população trabalha 153 dias apenas para pagar tributos, quase o dobro dos 76 dias em que se trabalhava na década de 70. Esse aumento ao longo do tempo fez com que o brasileiro trabalhe mais dias para o governo do que em países como Alemanha (139 dias), Estados Unidos (98 dias) e México (91 dias).

A pesquisa aponta também que os cidadãos brasileiros destinaram, em média, 41,80% do rendimento bruto em 2016 para pagar tributação sobre rendimentos, consumo, patrimônio e outros. Esse percentual, maior que os 41,37% registrados em 2015, deve-se ao aumento de uma série de tributos no ano passado, como o aumento do PIS/Cofins sobre combustíveis e bebidas e o retorno do IPI sobre veículos.

O aumento da carga tributária tem sido perverso com os cidadãos. Em Minas, assim como em todo o Brasil, estamos vendo diariamente portas de empresas se fechando e o desemprego crescendo. Rever os gastos públicos e o recolhimento de impostos é fundamental para conquistarmos o equilíbrio da nossa economia”, finalizou o parlamentar.

Categorias de Notícias

Voltar ao topo