Notícias

Empreendedores querem articular academia, governo e mercado

25 novembro 2016

CNM2

 

25_11_16_plenario_final_forum-125

O estabelecimento de parcerias entre os atores que compõem a chamada “hélice tríplice”, formada pela academia e setores públicos e privados, foi uma das propostas prioritárias aprovadas pelos participantes da plenária final do Fórum Técnico Startups em Minas – A construção de uma nova política pública, realizada nesta sexta-feira (25/11) Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

No período da manhã, foram definidas 28 propostas para compor o documento final, que subsidiará o Projeto de Lei (PL) 3.578/16, dos deputados Dalmo Ribeiro Silva e Antonio Carlos Arantes, que propõe uma política estadual de estímulo às startups. Na tarde desta sexta (25/11), serão apreciadas, ainda, outras quatro novas propostas apresentadas pelos participantes da plenária final.

O fórum técnico, que teve quatro encontros regionais, 107 instituições representadas e 227 participantes, consolidou 63 propostas, sendo 30 prioritárias, definidas pelos grupos de trabalho na etapa final. Na primeira fase de votação, duas propostas foram suprimidas. Os coordenadores dos grupos resumiram o processo de definição das prioridades e destacaram as mais importantes.

O coordenador do grupo 1, que tratou do empreendedorismo e da inovação, Lucas Costa dos Anjos, afirmou que o debate se deu em três eixos prioritários: a definição do conceito de startups; os desafios do fomento à educação empreendedora nos ensinos médio e superior; e a importância da avaliação dos impactos e resultados das leis que vierem a ser criadas para as startups em Minas Gerais.

O grupo 2 que teve como tema as politicas e a desburocratização, foi coordenado por Rosalves dos Santos Sudário. Segundo ele, a legislação que vier a ser criada pela ALMG pode desburocratizar o mercado das startups e, consequentemente, aliviar a situação de desemprego e geração de renda nos municípios mineiros. Sobre os trabalhos do grupo, foram destaques as discussões sobre o desafio de se encontrar a melhor forma de repasse do ICMS para os empreendedores e o estímulo a parcerias que fomentem as startups no Estado.

O coordenador do grupo 3, que debateu investimentos e incentivo, Fernando Henrique Toledo Rodrigues, apresentou como destaques as propostas que abrangem a busca pelo fomento dos empreendedores por meio de financiamentos; a promoção de investimentos em incubadoras, disseminadoras e parques tecnológicos; o estímulo à atuação dos investidores e dos fundos de investimento; o trabalho de internacionalização das startups; e a contribuição do Estado para o desenvolvimento de novas ferramentas de venda e disseminação dos novos empreendimentos.

Parlamentar defendem legislação
O deputado Dalmo Ribeiro Silva reforçou que é importante eliminar os gargalos burocráticos e disse que a intenção da Assembleia é apresentar uma legislação pioneira que viabilize a inovação tecnológica.

Os trabalhos continuam nesta sexta-feira, quando as propostas apresentadas durante a manhã serão analisadas, será eleito o Comitê de Representação do evento e será feita a entrega do relatório final.

 

Foto: Comunicação Dalmo Ribeiro

Categorias de Notícias

Voltar ao topo