Deputado Dalmo Ribeiro, autor da Lei 16.296 de 2006, participou da abertura e falou sobre a criação das APLs em Minas

 

O deputado Dalmo Ribeiro participou na manhã desta quinta-feira (31), na Câmara de Dirigentes Lojistas de BH, do Avança Minas APL do Vestuário, em parceria com o Governo de Minas. O evento tem como objetivo alavancar o crescimento econômico e reconhecer as potencialidades do estado. Participaram, também, o presidente da CDL-BH, Marcelo de Souza e Silva, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Fernando Passalio, e o presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais, Marcelo Bomfim. 

A Lei 16.296, que institui a política estadual de apoio à criação dos Arranjos Produtivos Locais (APLs), foi aprovada em 2006. Segundo o deputado Dalmo Ribeiro, “eu tenho a honra de ser o autor dessa Lei. Eu me inspirei em Santa Rita do Sapucaí, conhecido como ‘Vale da Eletrônica’. Fui eleito pela primeira vez em 1999, quando comecei a visitar as cidades da minha região e conheci esse município, que é referência em tecnologia e empreendedorismo”. 

O parlamentar ainda explicou a vocação do Sul de Minas na produção de malhas, tricô e pijamas. “Há, em nossa região, uma vocação muito forte para o setor têxtil. Ouro Fino, Jacutinga e Monte Sião, por exemplo, fazem parte do Circuito das Malhas, assim como Inconfidentes, que é conhecida como a Capital Nacional do tricô, e Borda da Mata, referência na produção de pijama”.

A Lei começou a ser desenvolvida ainda no governo de Itamar Franco e foi aprovada na gestão de Aécio Neves. No entanto, muito tempo se passou e não foram desenvolvidas ações concretas acerca dessa legislação. No início da gestão Zema, foi realizada uma revisão e ações concretas desenvolvidas em Minas para fomentar os Arranjos. Atualmente, são reconhecidos 50 APLs em 243 municípios, com 34.000 empresas que geram mais de 141.000 empregos diretos. 

“Minas Gerais foi o primeiro estado do país a criar a Lei para APLs. Aqui, quero render minhas homenagens ao governador Zema, que apoiou e fortaleceu essa legislação desde o início do seu mandato”, reconheceu o deputado. O presidente da CDL-BH, Marcelo de Souza e Silva, analisou que “é necessário gerarmos um ambiente de sinergia para fortalecer a cadeia produtiva”. 

Reconhecimento

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Fernando Passalio, também reconheceu as contribuições do parlamentar para o desenvolvimento do estado. “O Dalmo é responsável pela Lei do APL, como também pela das Startups, que tanto auxiliou o desenvolvimento de empresas no estado”. Ele ainda anunciou que nos próximos meses o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) abrirá um financiamento especial para as que são reconhecidas como APL. “Precisamos ter um estado amigo de quem empreende”, ponderou Passalio. 

O que são os Arranjos Produtivos Locais

Os APLs têm o objetivo de fomentar o desenvolvimento de pequenas e médias empresas de uma determinada região, que atuam em um mesmo segmento produtivo. Ao invés de competirem entre si, a ideia é que fortaleçam a sua cadeia de fornecedores, diminuindo custos e desenvolvendo mão-de-obra. Os APLs estão baseados em uma nova lógica econômica em que as relações de solidariedade são valorizadas para a geração de emprego, renda e desenvolvimento social.