Notícias

Fórum das Startups instala comitê de representação

18 abril 2017

Grupo originado de discussões no ano passado vai analisar propostas e aprimorar projeto que tramita na ALMG

O Fórum Técnico Startups em Minas – A Construção de uma Nova Política Pública entra em uma nova fase a partir desta terça-feira (18/04), com a reunião para a instalação do comitê de representação do evento, que será às 9 horas, no Salão Nobre da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

A iniciativa mobilizou centenas de pessoas, entre empreendedores, especialistas e demais interessados pelo assunto, ao longo do segundo semestre do ano passado, em Belo Horizonte e pelo interior do Estado. Startups são organizações projetadas para explorar novos produtos ou serviços, sob condições de extrema incerteza mercadológica.

Além dos integrantes do comitê, participarão da solenidade os deputados Dalmo Ribeiro e Antonio Carlos Arantes, que foram os coordenadores do fórum técnico. Os dois são autores do Projeto de Lei (PL) 3.578/16, que dispõe sobre a Política Estadual de Estímulo, Incentivo e Promoção ao Desenvolvimento de Startups. O objetivo inicial do fórum era aprimorar esta proposição.

Também é esperada a presença na solenidade do deputado Roberto Andrade, presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico da ALMG, além da apresentação da gerente de Vendas e Marketing da Israel Homeland Security (iHLS), Keren Kalderon.

Agilidade
Dalmo Ribeiro quer acelerar a tramitação da matéria e espera que, a partir da aprovação do PL, as startups encontrem um ambiente econômico mais favorável no Estado e, ao mesmo tempo, as instituições públicas possam contar com o apoio daquelas empresas na prestação de alguns serviços.

Alta tecnologia
Israel, um país de cerca de 8 milhões de habitantes, é o terceiro em volume de negócios na Nasdaq (bolsa de valores americana, que reúne empresas de alta tecnologia do mundo todo), atrás somente dos Estados Unidos e da China. Em número de startups, Israel só perde para o Vale do Silício, nos Estados Unidos.

O gigante Waze, um dos maiores aplicativos de trânsito do mundo, nasceu em Israel, como uma startup. Hoje, no país, existem mais de 300 multinacionais baseadas em tecnologia.

Investimentos em segurança cibernética, mobile, realidade aumentada, geração de energia, biotecnologia e tecnologia de armazenamento são exemplos de algumas das milhares de startups de Israel, que também tem o maior número de engenheiros per capita do mundo.

Rede de cidades empreendedoras é proposto em documento final

Trinta e duas propostas e 55 sugestões de encaminhamentos estão no documento final do fórum, elaborado pela Gerência-Geral de Consultoria Temática da ALMG a partir das várias discussões realizadas no ano passado. Ele será agora revisado pelo comitê de representação, subsidiando assim modificações no texto final do projeto.

Dentre as propostas estão incentivos direcionados a startups criadas e desenvolvidas dentro das universidades e escolas. Esses incentivos incluiriam bolsas para fundadores e sócios de startups, captação de recursos humanos e recursos para prototipagem.

Também existe a ideia de capacitar e estimular empresas e profissionais especializados no processo de internacionalização de produtos e serviços inovadores, apoiando as startups por meio de agências de exportações e investimentos estrangeiros.

Por fim, existe a proposta de se instituir um programa de cidades mineiras empreendedoras, com o objetivo de conceber um sistema em rede de colaboração, relacionamento e troca das melhoras práticas entre elas e com cidades de outros estados e até do exterior. Isso contribuiria para a emersão de regiões empreendedoras, criativas, inovadoras, inteligentes e sustentáveis em Minas Gerais.

Comitê
É composto por representantes dos seguintes segmentos das startups: instituições de ciência e tecnologia; grupos de pesquisa; empreendedores; comunidades de startups; entidades de trabalhadores e representativas do setor produtivo.

O Fórum Técnico Startups em Minas teve quatro encontros regionais: em Santa Rita do Sapucaí (Sul de Minas), reconhecido polo tecnológico do Estado; Uberlândia (Triângulo Mineiro); Viçosa (Região Central do Estado) e Montes Claros (Norte de Minas), com 107 instituições representadas e 227 participantes no total.

O debate público e a etapa final foram realizados em Belo Horizonte, no qual os documentos preparados em cada etapa regional foram analisados por grupos de trabalho. Os coordenadores dos grupos, então, resumiram o processo de definição das prioridades e destacaram as mais importantes, dando origem ao documento final do evento.

Categorias de Notícias

Voltar ao topo