Notícias

Fórum sobre startups chega a Santa Rita do Sapucaí

30 setembro 2016

CNM2

O primeiro encontro regional do Fórum Técnico Startups em Minas – A Construção de uma nova política pública será realizado na próxima quinta-feira (06/10), pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Santa Rita do Sapucaí. Considerado um polo tecnológico no Sul de Minas, o município inaugura uma série de quatro discussões do evento no interior do Estado, que acontecem em outubro e novembro.

As atividades serão no Teatro do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), que fica na Avenida João de Camargo, 510, a partir das 8 horas. Interessados em participar podem se inscrever pelo Portal da ALMG.

O objetivo do fórum técnico é colher sugestões da sociedade para a criação de uma política estadual de estímulo, incentivo e promoção ao desenvolvimento das startups em Minas. As empresas conhecidas por esse nome podem ser definidas como organizações projetadas para explorar novos produtos ou serviços, sob condições de extrema incerteza mercadológica.

Co-autor do Projeto de Lei (PL) 3.578/16 e um dos idealizadores do fórum técnico, o deputado Dalmo Ribeiro destaca a importância das startups em Minas Gerais como uma alternativa viável para o enfrentamento da atual crise econômica. A proposição, que tem como outro autor o deputado Antônio Carlos Arantes, dispõe sobre a política estadual de estímulo, incentivo e promoção ao desenvolvimento local dessas empresas.

“A Assembleia Legislativa entendeu que a maior colaboração que podemos ofertar é a aprovação de uma norma que proporcione um ambiente de negócio desburocratizado, não oneroso e que conceda incentivos aos que desejam empreender. Assim, aumentaremos exponencialmente o número de pessoas empregadas, sobretudo, os jovens”, afirma Dalmo Ribeiro.

Programação
Logo na abertura da etapa de Santa Rita do Sapucaí, o público participará de um painel de contextualização com o coordenador do Núcleo de Empreendedorismo do Inatel, Rogério Abranches; o diretor de Operações da Keeplay Game Studios e presidente da Rede de Empresas de Tecnologia, Inovação e Conhecimento (Retic), Fernando Riondet Costa; a diretora de Marketing e Comunicação na NexAtlas, Ana Raquel Calhau; e o fundador da Fit NetWorks Tecnologia em Informática e Telecomunicações Ltda, Clóvis Juliano de Carvalho.

Também está prevista a participação, nesse painel, do superintendente de Inovação Tecnológica, Roberto Rosenbaum, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes).

Na sequência, os participantes vão se dividir em grupos de trabalho, que devem prosseguir até o fim da tarde. No momento da inscrição, que é individual, a pessoa escolhe de qual grupo de trabalho pretende participar. São três: Startups, empreendedorismo e inovação: conceitos, cultura e atores; Startups, políticas e desburocratização; e Startups, investimentos e incentivos.

Além dessas atividades, também acontecerá o debate e a aprovação do Documento de Propostas, além da eleição dos representantes regionais para a etapa final, que acontecerá na ALMG, em Belo Horizonte, de 23 a 25 de novembro.

Vale da Eletrônica é inspirado no Vale do Silício
Santa Rita do Sapucaí possui apenas 40 mil habitantes, mas abriga o chamado Vale da Eletrônica, formado por três instituições de ensino e mais de 150 empresas de setores que vão da informática à telecomunicação.

Localizado numa área estratégica, que fica próxima das três principais capitais da região Sudeste, o Vale é responsável pela fabricação de mais de 13 mil produtos, com destaque para a urna eletrônica, o chip do passaporte eletrônico e o transmissor de TV digital nacional. A cidade também exporta para mais de 40 países e emprega quase 20 mil trabalhadores.

O apelido Vale da Eletrônica é uma referência ao Vale do Silício, região composta por vários municípios ao sul da baía de São Francisco, na Califórnia (EUA), onde, a partir da década de 1950, instalaram-se um conjunto de empresas especializadas em inovações científicas e tecnológicas, como Apple, Google e Facebook.

Startup mineira cria pulseira contra mosquito
Dentre as startups que se localizam no Vale mineiro, destaca-se a Pulsetech, empresa que desenvolveu uma pulseira repelente que emite ondas sonoras em frequência imperceptível ao ser humano, mas capazes de atordoar e afastar o mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão de diversas doenças.

O sócio da Pulsetech Danilo Germiniani Virginio explica que o principal obstáculo para o produto chegar ao mercado é a realização de testes de emissões das ondas ultrassônicas, além dos testes de eficácia da pulseira com as fêmeas do mosquito, que demandam parcerias e investimentos.

Trabalho acadêmico
A ideia para a criação da pulseira surgiu a partir de uma disciplina cursada no Inatel, chamada Empreendedorismo e Inovação I. Nela, o objetivo era que os alunos propusessem projetos com potencial para contribuir com a sociedade e que, futuramente, pudessem se tornar um negócio real.

“O interesse por contribuir com o combate ao Aedes aegypti, porém, veio antes desse projeto. Eu e meu colega Danilo Ferreira criamos um aplicativo em que as pessoas de Santa Rita pudessem denunciar locais onde poderia haver criadouros do mosquito. Apresentamos esse aplicativo na Feira Tecnológica do Inatel (Fetin) e percebemos que precisávamos de algo que servisse de ferramenta para aumentar a proteção da população contra o mosquito e suas doenças”, conta Danilo Virginio.

A startup colocou seu plano em ação a partir da seleção no 1° Crowdworking Vale da Eletrônica, onde foi selecionada junto com outras 19 empresas. “No programa, iniciado no final de maio deste ano, pudemos amadurecer a ideia, fortalecer nossas pesquisas e desenvolver nosso primeiro protótipo. Também recebemos diversas capacitações e mentorias que nos ajudaram a planejar os próximos passos da empresa”, acrescenta o empreendedor.

GEM
Segundo pesquisa mundial feita pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM), o Brasil está entre os países mais empreendedores do mundo, com mais de quatro mil startups instaladas. Minas Gerais ocupa o 2º lugar no ranking do País, atualmente com mais de 350 empresas nascentes.

A comunidade San Pedro Valley, que fica em Belo Horizonte, ganhou por dois anos consecutivos o prêmio de melhor comunidade de startups do País no Spark Awards, premiação para empreendedores organizada pela Associação Brasileira de Startups em parceria com a Microsoft Brasil.

Categorias de Notícias

Voltar ao topo