Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) anunciou R$ 100 milhões para financiamento 

 

Para fomentar negócios em Minas, o BDMG e o Governo do Estado anunciaram na última terça (14) o lançamento de linha de crédito para micro e pequenas empresas que fazem parte dos Arranjos Produtivos Locais (APLs). Serão disponibilizados R$ 100 milhões para essa modalidade de negócio. Os Arranjos Produtivos são fruto da Lei 16.296 de autoria do deputado Dalmo Ribeiro. Atualmente, no estado, são reconhecidos 52 arranjos que reúnem 19.000 empresas e promovem 164.000 empregos diretos. 

No Sul de Minas, estão localizadas, por exemplo, os APLs do Circuito das Malhas, do Vestuário de Paraguaçu e de Eletroeletrônicos de Santa Rita do Sapucaí, que reúnem mais de 21,5 mil empresas. O deputado Dalmo Ribeiro sempre acompanhou o processo de instalação dos Arranjos e comemorou a boa notícia. 

“Quero compartilhar com vocês uma ótima notícia. Ontem, o BDMG liberou R$ 100 milhões para as micro e pequenas empresas dos Arranjos Produtivos Locais. Essa é uma importante iniciativa do Governo do Estado para fomentar essas empresas”. 

Ele ainda relembrou a importância da iniciativa para o desenvolvimento do estado, fomento das empresas e geração de emprego. “Os APLs são uma importante conquista para o nosso mandato e para Minas Gerais. Em 2016, instituímos essa importante lei das Políticas do Desenvolvimento Estadual e Regional através do APLs. Tenho muito orgulho de ser o autor dessa legislação, que beneficia todo o estado de Minas Gerais.”

Linha de crédito

Poderão fazer empréstimos, empresas que faturam anualmente até R$ 4,8 milhões e poderão ter acesso a R$ 480 mil com uma taxa pré-fixada de 1,24% ao mês. O empréstimo deve ser quitado em 36 meses e com carência de três meses. 

Para obter os recursos, o empreendedor deve acessar o site do BDMG. É possível fazer, por meio de uma plataforma digital e segura, a simulação e ainda contratar o crédito”. 

O que são os Arranjos Produtivos Locais

Os APLs têm o objetivo de fomentar o desenvolvimento de pequenas e médias empresas de uma determinada região, que atuam em um mesmo segmento produtivo. Ao invés de competirem entre si, a ideia é que fortaleçam a sua cadeia de fornecedores, diminuindo custos e desenvolvendo mão-de-obra. Os APLs estão baseados em uma nova lógica econômica em que as relações de solidariedade são valorizadas para a geração de emprego, renda e desenvolvimento social.