Notícias

Segurança pública de Santa Rita do Sapucaí é tema de audiência na Assembleia Legislativa

01 dezembro 2015

Requerida pelo deputado Dalmo Ribeiro, a Assembleia Legislativa realizou, nesta terça-feira (01), em Belo Horizonte, audiência pública para debater o crescimento dos índices de criminalidade em Santa Rita do Sapucaí. O município reivindica aumento dos efetivos das polícias civil e militar, além vagas no Sistema Socioeducativo do Estado.

“Santa Rita, que é conhecida por ser a cidade do Vale da Eletrônica, cada vez mais, tem sido associada ao crescimento da violência. O governo estadual precisa olhar para a questão da criminalidade no município, que tem números alarmantes”, afirmou o deputado.

Durante a audiência, Dalmo apresentou números que confirmam o crescimento da violência na cidade. Até outubro deste ano foram registrados 80 crimes violentos em Santa Rita, sendo que 65 roubos. No ano passado, o Registro de Eventos de Defesa Social (Reds) identificou 54 crimes violentos na cidade, sendo 39 roubos consumados.

DSC_2848

Clamor

O prefeito de Santa Rita do Sapucaí, Jefferson Gonçalves Mendes, falou sobre o quadro da violência no município. “Infelizmente, a maioria dos crimes tem o envolvimento de adolescentes. A Prefeitura tem, por meio de parceria com as polícias Civil e Militar, tentado frear o crescimento dos índices de criminalidade, mas não tem sido possível”, destacou o prefeito.

A questão do envolvimento de menores nos crimes também foi reforçada pelo presidente da Câmara Municipal de Santa Rita do Sapucaí, Reinaldo de Cássia Amaral, pelos vereadores do município (Aldo Moreli, Rodrigo Elísio de Souza, José Márcio Cunha, Cibele Maria da Silva, Vagner Gamarra e Vanderlea Paulino) e pelo presidente da Cooperativa Regional Agropecuária de Santa Rita do Sapucaí (CooperRita), Luiz Fernando Ribeiro.

O delegado de Polícia Civil do município, Mário Roberto Rodrigues Martins, confirmou o envolvimento de adolescentes nos crimes e expôs a situação do efetivo na cidade. “Em 2013, eram 11 policiais, sendo dois delegados. No ano passado esse número caiu para oito policiais. Neste ano estamos com sete policiais, sendo dois delegados. Entretanto, o número de procedimentos realizado em nossa delegacia só cresce. Tínhamos que contar com um efetivo de 14 policiais, mas só temos a metade disso”, disse.

O delegado também lamentou a falta de vagas no Sistema Socioeducativo do Estado para os menores infratores e clamou por cinco vagas (para a cidade de Santa Rita) ao representante da Subsecretaria de Atendimento às Medidas Socioeducativas da Secretaria de Estado de Defesa Social, Rodrigo Xavier da Silva, que ficou de estudar o pedido junto ao juiz da comarca.

“Queremos que, ao menos, a Secretaria de Estado de Defesa Social responda aos pedidos de Santa Rita do Sapucaí por essas vagas no Sistema Socioeducativo. A população não pode continuar com essa sensação de insegurança”, cobrou Dalmo Ribeiro.

A falta de policiais militares também foi destacada durante a audiência. O comandante do 20º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais, tenente-coronel Gilson Gonçalo dos Santos, destacou que não tem como aumentar o efetivo no momento, mas que tem atuado por meio de ações de prevenção.

DSC_2861

Investimentos do município

Mesmo sendo investimento de responsabilidade dos governos estadual e federal, o prefeito destacou que o Município adquiriu, recentemente, dois veículos e três motos para que a Guarda Municipal reforce a segurança do patrimônio municipal. O prefeito Jefferson Gonçalves Mendes também confirmou o repasse de R$ 90 mil para compra de três motos para a Polícia Militar e a aquisição de câmeras para serem instaladas em pontos estratégicos do município.

Ao final da reunião foram apresentados requerimentos para que o Governo do Estado reforce os cinturões de segurança nas divisas do Estado, para que as polícias Civil e Militar realize operações especiais para conter a violência em Santa Rita do Sapucaí e também para que sejam criadas vagas para o município no Sistema Socioeducativo do Estado.

Também participaram da audiência o comandante da Guarda Municipal, Tenente José Inácio da Costa, a procuradora do Município de Santa Rita do Sapucaí, Thaís Ferreira de Mesquita, e Paulo Kléber Duarte Pereira, representando o deputado federal Bilac Pinto.

Categorias de Notícias

Voltar ao topo