Agricultores do Sul de Minas estão amargando prejuízos financeiros com os custos de produção que, muitas vezes, não são cobertos pelos valores pagos pelo mercado. Para debater a situação destes horticultores, em especial das culturas de morango, batata e brócolis, o 2º vice-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Dalmo Ribeiro, solicitou a realização de audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Econômico. A reunião será realizada na próxima terça-feira, 9 de maio, às 15h.

O Sul de Minas apresenta a maior área de produção e de agricultores na área de hortícolas como o morango, a batata e o brócolis. São mais de 17 mil agricultores familiares, com um PIB de R$1,9 milhão, segundo dados de 2015 divulgados pela Emater-MG.

“O valor do crédito rural hoje está aquém da necessidade do mercado e as condições climáticas têm provocado perda da qualidade dos produtos. Diante desta situação, o agricultor fica impossibilitado de honrar seus compromissos financeiros. Com a audiência, queremos analisar a possibilidade de que os produtores mutuários de crédito rural recebam o benefício da prorrogação do crédito em seus custeios agrícolas, além de ouvir mais sobre os problemas que eles têm enfrentado”, explica o 2º vice-presidente da ALMG.

Representantes da Associação dos Bataticultores do Estado de Minas Gerais (Abasmig), da Cooperativa dos Morangueiros Pantanenses (Coompa), da Associação dos Morangueiros de Estiva (AME) e da Associação Ambiental São Sebastião dos Campos (SSC) se uniram e solicitaram especial atenção sobre o assunto. “Ao acolher este pedido de ajuda, mostramos que é preciso dar atenção a esses produtores que tanto trabalham para a geração de riqueza em nosso Estado. Precisamos de alternativas que estimulem o desenvolvimento saudável da nossa agricultura”, finaliza o autor do requerimento.

Para representar o governo estadual na audiência, foram convidados os secretários de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Coutinho; de Fazenda, Afonso Bicalho; de Desenvolvimento Agrário, professor Neivaldo; o superintendente Estadual do Banco do Brasil, Reinaldo Yokoyama; o presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais, Glênio Martins; e o diretor-geral do Instituto Mineiro de Agropecuária, Marcílio de Souza.

Serviço: Audiência pública para debater a situação dos horticultores do Sul do Estado, em especial no que se refere às culturas de morango, batata e brócolis.
Quando: 9 de maio, terça-feira, 15h.
Local: Plenarinho III da Assembleia Legislativa de Minas Gerais – Rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho, Belo Horizonte.